Blog

Fique por dentro das notícias mais importantes

O jejum intermitente tem sido prática comum na alimentação de quem vive no Vale do Silício.

A prática tem prometido libertar os seus seguidores das calorias.

Pesquisas científicas sugerem o número de adeptos a essa dieta só aumenta.

O jejum intermitente, ou intermittent fasting (IF) , envolve limitar o tempo que você come a um período de tempo específico a cada dia.

Enquanto a maioria de nós come um pouco regularmente desde o momento em que acordamos até a hora em que dormimos, os jejuns intermitentes não.

Eles “se alimentam” apenas dentro de uma período estritamente definido.

Geralmente da manhã à tarde ou à tarde.

O Vale do Silício tem adorado isso.

De acordo com informações do Business Insider,  o executivo do Facebook, Dan Zigmond, limita sua alimentação ao horário das 9h às 17h30.

E e muitos outros CEOs e pioneiros da tecnologia também tem seguido isso.

Como tem sido o jejum intermitente?

O jejum intermitente não restringe as calorias de seus seguidores.

Nem a ingestão de alimentos específicos.

jejum intermitente

Mas sua prática mostrou-se tão útil para a perda de peso quanto as dietas tradicionais.

E estudos em animais sugerem que o plano pode ter uma variedade de outros benefícios à saúde.

Incluindo a redução do risco de câncer e o prolongamento da vida.

Mas há problemas com o jejum intermitente e ele tem dividido opinões entre os especialistas e nutricionistas.

Além de apoiar-se fortemente em estudos com animais, a abordagem pode ter vários benefícios.

Esses, por sua vez, surgem apenas como um resultado incidental do fato de que ela tende a levar à perda de peso.

Com isso em mente, os pesquisadores têm tentado descobrir se alguns desses benefícios poderiam emergir mesmo que os jejuns intermitentes não perdessem peso.

E, pela primeira vez, um estudo, segundo oBusiness Insider, sugeriu uma resposta positiva.

Os autores do estudo descobriram que as pessoas que tentaram a abordagem IF, mas receberam calorias suficientes para evitar a perda de peso.

Além disso, ainda viram benefícios como a redução da pressão arterial.

Esse é um sinal promissor para estudos futuros do plano.

“Descobrimos que havia benefícios para essa abordagem que eram completamente independentes da perda de peso”, disse Courtney Peterson à Business Insider

Courtney é a principal pesquisadora do estudo e professora assistente de ciência nutricional da Universidade do Alabama, em Birmingham.

Período escolhido

Os fasters intermitentes podem comer o que quiserem, dentro da razão – não há limites rígidos para carboidratos, gordura ou qualquer outra coisa.

Em geral, a maioria dos jejuns intermitentes mantém sua dieta normal.

Tudo o que eles mudam quando começam o plano alimentar são as horas durante as quais eles comem.

Mas ele não é para todos.

Até agora, o benefício mais bem pesquisado do jejum intermitente é a perda de peso, segundo Krista Varady, professora de nutrição da Universidade de Illinois.

Ela escreveu um livro sobre o IF chamado “Dieta Todos os Outros Diários” em 2013, publicou um estudo em 2017 no Journal of American Medical Association e deu entrevista ao Business Insider,

Seu estudo mostra que os obesos que jejuaram intermitentemente perderam aproximadamente a mesma quantidade de peso que aqueles em uma dieta tradicional.

Dieta que envolvia comer estrita e contagem de calorias.

Mas um punhado de artigos recentes sugere que, em animais, o jejum intermitente está ligado a outros benefícios mais vitais como:

  • melhorias no controle do açúcar no sangue
  • alguns efeitos antienvelhecimento.

Com isso em mente, alguns pesquisadores têm trabalhado duro tentando descobrir se esses benefícios também podem se aplicar às pessoas.

Jejum nas pessoas

Ao mesmo tempo, eles também querem saber algo ainda mais importante:

se esses benefícios são apenas um resultado da perda de peso ou se eles podem ter algo a ver com o próprio jejum intermitente.

Assim, para o estudo recente de Peterson, ela e seus colegas decidiram adotar uma abordagem muito mais intensa:

  • supervisionavam tudo o que os participantes consumiam e permitiam que eles só comessem a comida que lhes era dada.

Esses tipos de estudos são chamados de testes de alimentação controlada supervisionada.

E, devido à dificuldade em projetá-los e realizá-los, eles raramente são feitos.

Mas o tipo de percepção que eles fornecem em uma dieta específica ou plano alimentar é único e de alto calibre.

Para saber mais sobre o estudo de Peterson, lei aqui. 

Fonte: Business Insider

Imagens: Pixabay

No comments yet