Blog

Fique por dentro das notícias mais importantes

A prototipagem e a validação de produtos ou serviços, são dois passos muito interessantes, e ocorrem após a idealização de seu negócio ou produto. No entanto, prototipagem e validação são duas etapas diferentes, que em algum dado momento podem andar juntas.

Em linhas gerais, é a partir da prototipação que ocorre o surgimento da validação.

O que é prototipação?

Em via de regra, a prototipação nada mais é do que a etapa de teste daquela ideia inicial, de produto ou serviço que foi sendo lapidada até esse momento. Essa etapa consiste em moldar e dar consistência a uma ideia, visando tornar um projeto tangível, de forma rápida e com menor custo.

A prototipação pode acontecer de muitas formas, não necessariamente sendo uma versão concreta de um produto.

Se você estiver idealizando um novo tipo de bicicleta, por exemplo, para lançar a sua marca ou um novo modelo no mercado, você não precisa – necessariamente – construir esse modelo, como um exemplar de seu produto. Você pode prototipar o modelo em forma 3D, para melhor visualizar a ideia do seu produto com maior detalhamento.

Isso quer dizer que a prototipação pode ser realizada de muitas formas, incluindo em esboço em papel.

A importância da prototipagem

A prototipagem é extremamente importante para qualquer negócio que busca lançar ao mercado algo novo ou inovador. Essa é a forma mais ágil e econômica que você pode realizar antes de testar e validar um projeto.

Nessa etapa todo e qualquer erro ou acerto deve ser considerado e também ajustado, para que um novo protótipo possa surgir. Uma vez lapidado, o produto pode ser colocado para testes e possível validação.

E, para que o seu empreendimento passe por essa fase de uma forma mais simples e fácil, existem duas estratégias muito efetivas, que prometem auxiliar muitos empreendedores por aí a fora. Trata-se do Minimum Viable Product – MVP e o Growth Hacking.

MVP

O Minimum Viable Product (em português: Produto Minimamente Viável), consiste em uma das primeiras ações que envolvem um projeto quando falamos em prototipagem. A essa ferramenta compete a fase de conhecimento sobre o público-alvo, envolvendo coleta de dados, criação de situações práticas (experimentação) e funcionalidades.

É a partir dos experimentos que as hipóteses sobre o produto e o público vão sendo testadas e continuamente construídas. Essa prática que o método MVP te convida a realizar, faz com que você possa investir em um produto certeiro, redondinho para o seu público-alvo e outros possíveis usuários.

A questão aqui é muito prática:

Quando o assunto é MVP a ideia central é ajustar as perguntas norteadoras, para estruturar hipóteses, desenhar protótipos e testar produtos. A vantagem desse método é gastar o mínimo de investimento – considere aqui tempo, dinheiro e recurso humano – de forma ágil.

Growth Hacking

Eis aqui mais um grande sucesso do mundo empreendedor, o Growth Hacking nada mais é do que o marketing orientado para o experimento. Em outras palavras: a própria experimentação.

Se quebrarmos um pouco essa expressão, growth nos dará a ideia de crescimento, enquanto hack nos remete à oportunidades, brechas.

Assim sendo, temos oportunidades de crescimento, a partir da busca por brechas ou espaços (hacking).

O Growth Hacking consiste, por fim, na ação de encontrar gatilhos que podem promover o crescimento acelerado de produtos, serviços ou projetos. Esse marketing orientado para a experimentação possui validade científica, utilizando como etapas o seu próprio funil (aquisição, ativação, retenção, receita e indicações).

Posso unir ambos os métodos pensando na etapa de prototipagem e posterior validação?   

Nada impede que ambos os métodos possa auxiliar o crescimento de seu negócio, basta estudá-los para entender as etapas onde podem ser conjugados. O importante é elaborar a sua ideia através de protótipos, até que se tornem válidos e voem para o mercado.

No comments yet

Open chat
Powered by