Blog

Fique por dentro das notícias mais importantes

Os salários no Vale do Silício caem ao longo do tempo, apesar dos trabalhadores da região serem mais produtivos.

As informações foram extraídas do portal Zdnet que revela que uma pesquisa sobre salários.

Essa pesquisa (Pesquisa sobre salários reais do Vale do Silício) descobriu que 90% dos empregos na região estão pagando menos de 20 anos atrás.

Isso está de acordo com dois estudos relacionados publicados pela Working Partnerships USA e o Programa Everett.

Esses estudos culpam a crescente desigualdade de renda nos modelos de negócios da indústria de tecnologia do Vale do Silício.

Além disso,  Working Partnerships USA firmam parcerias com empresas como Google e Apple para apoiar os trabalhadores contratados.

E concebe campanhas de política em nome dos trabalhadores de baixa remuneração.

Mais sobre os relatórios sobre salários

Os relatórios observam que desde a década de 1970 o crescimento da produtividade na região tornou-se “dissociado” do crescimento dos salários.

Dessa forma, enquanto o Vale do Silício tem o maior crescimento econômico per capita, a maioria dos trabalhadores está tendo menos ganho.

Apenas os 10% dos empregos mais bem pagos viram a renda real aumentar nesse período.

Além disso, os trabalhadores teriam recebido um extra de $ 8.480 em salários e benefícios em 2016.

Caso, sua participação no PIB tivesse sido equivalente à sua participação em 2001, de acordo com o estudo.

Os ganhos vão para capitalistas de risco, financiadores, executivos e empregados de alto nível.

E os pesquisadores argumentam que a desconexão entre produtividade e crescimento dos salários está sendo exacerbada pela:

  • atitude de “o vencedor leva tudo” e
  • a natureza “quase monopolista” da indústria, citando o domínio do Google, Facebook e Amazon em mercados selecionados.

Aumento do PIB

Paralelamente, o estudo descobriu que o PIB per capita na área de San Jose aumentou em 74% nos últimos 16 anos.

Mas o salário médio dos trabalhadores no Vale do Silício diminuiu em 14% durante esse período.

A participação da produção total de certas indústrias também caiu drasticamente nos últimos 20 anos.

Em 2001, os trabalhadores de computadores e semicondutores receberam 76% da produção total, mas esse número caiu para 58% em 2016.

Olhando para:

  • a mistura de salários baixos
  • salários médios e
  • altos salários do Vale do Silício desde 1997
  • o estudo constatou que a parcela de empregos com baixos salários aumentou nove pontos percentuais, enquanto os salários médios e altos diminuíram em três e quatro pontos percentuais, respectivamente.

O grupo de funcionários cujos salários cresceram em todos os níveis são aqueles que trabalham no setor de alta tecnologia no Vale do Silício, com uma remuneração média de 32% em comparação com 1997.

O salário médio em indústrias não-tecnológicas caiu 12%.

 

Fonte: Zdnet

Imagem: Reprodução

No comments yet

Open chat
Powered by