Blog

Fique por dentro das notícias mais importantes

No dia 03 de abril, o Youtube se tornou um dos assuntos mais comentados no mundo devido a um tiroteio que aconteceu dentro da sede, em San Bruno, na Califórnia.

Na ocasião, uma mulher armada entrou na empresa e disparou contra quatro pessoas que seguem hospitalizadas.

As investigações estão sendo feitas pela polícia local. 

No entanto, a entrada da pessoa armada à sede do Youtube levantou o debate sobre a estrutura que empresas de tecnologia como o Youtube tem difundido atualmente.

Segundo informações divulgadas pelo Recode – site de notícias de tecnologia e mídia digital que faz coberturas no Vale do Silício, o YouTube prometeu aumentar a segurança após o ataque – mas essa não é uma tarefa fácil e rápida.

Estrutura dos campus de tecnologia 

De acordo com a publicação do site, os campus de tecnologia são geralmente projetados para serem lugares divertidos e acolhedores.

Dessa maneira, o controle da entrada e saída de pessoa, então, seria um novo desafio. 

O Youtube declarou disse a pessoa identificada como atiradora conseguiu entrar no campus de San Bruno pelo estacionamento.

Depois disso, ela acessou o pátio externo do YouTube e que a organização  está se comprometendo a proteger melhor seus funcionários.

“Estamos revisitando este incidente em detalhes e aumentando a segurança que temos em todos os nossos escritórios em todo o mundo para torná-los mais seguros não apenas no curto prazo, mas a longo prazo”, disse o YouTube em um comunicado na noite de quarta-feira.

Características do campus do Youtube 

A estrutura das empresas de tecnologia no Vale do Silício geram debates sobre acesso e mobilidade do público.

Os edifícios estão espalhados e qualquer pessoa pode transitar por eles.

No Vale do Silício, não é incomum a recepção aos visitantes.

Já que as próprias empresas são além de corporações admiradas, pontos marcantes do Vale.

Segundo o artigo do Recode é provável que haja um novo debate no Vale do Silício sobre como esses campi são protegidos – “bem como vimos um debate sobre espaços públicos como os cinemas após o tiroteio em Aurora em 2012 e um debate sobre escolas após incidentes mortais em Sandy Hook e mais recentemente em Parkland”, escrevem.

Os detalhes sobre o tiroteio seguem sendo apurados.

 

Fonte: Informações do Recode

Imagens: Reprodução

2 comments

  • só que infelizmente a culpa da pouca atuação dos militares é das leis, direitos humanos, OAB etc. Pra se ter uma ideia do que falo é so ver as regras de engajamento dos militares, é uma vergonha total que deixam os militares de mãos atadas! Pra se ter uma noção da vergonha, caso o militar seja alvo de disparos a primeira regra dele é dar tiros para o altos para “intimidar o meliante ( como se ele não fosse acostumado a tiroteios) e entre outras regras, o militar não pode matar um coitadinho desses se não é preso. é ou não vergonha??? Resumindo, o marginal pode atirar, matar o militar mas o militar não pode nem revidar, não sei o motivo de estarem armados lá!!

    Responder
  • Eu estive lá no Campus na última sexta-feira, e havia segurança em todas as entradas dos prédios, só permitiam a entrada de pessoas com o crachá da empresa.

    Responder